14/04/2008

Indiferença *

por Simone Ferreira

Ao pensar sobre o que não venho escrevendo me veio em mente a indiferença.
Talves não tivesse escrito antes por vergonha de assumir o egoísmo que ainda reside em mim. Mas não estou só nisto e escreverei sobre a minha e sobre a tua indiferença.
A minha indiferença sobre aquilo que eu acho que não me diz respeito: sustentabilidade, poluição, economia , política, biodiversidade, globalização.
Escrevo sobre a tua indiferença diante de mim, diante do outro que te pede alguns trocados no sinal ou no banco da praça.
Que praça? - Aquela que você nem nota mas que sempre esteve ali.
Escrevo sobre a nossa indiferença diante do Sol, do Mar , da Terra, da flôr , da dor.
Pois é a soma destes "não-olhares" que fazem o mundo que temos hoje.
O que seria dele se tivessemos um outro olhar?
Seria ele menos caótico? Mais habitável? Menos cruel?
Seríamos nós Seres Humanos melhores? Mais sensíveis e fraternos?
Quem é que sabe ?!
Vejo por todos os lados a indiferença, estamos mergulhados nela.
Somos indiferentes ao pneu que é atirado ao mar, ao sofá deixado na beira do rio, ao corpo jogado na vala...
Somos indiferentes ao pedestre que fica 5 minutos parado em uma faixa de segurança sem que um motorista-cidadão pare por um instante sua vida (louca, corrida, varrida) para que ele possa continuar a sua.
Somos indiferentes à criança que sorri e pede para brincarmos e corrermos com ela.
Quando seremos despertados do nosso "euísmo" repugnante?
- Nada nos desperta. Nem bombas atômicas, furacões e tsunamis parecem lembrar a nossa condição de "pessoas".
Pessoas arrogantes é o que somos agora, então somos " nada" , pois em uma fração de segundos poderemos transpor a vida e nos depararmos com a morte.
É isto!! Somos indiferentes à morte e por isso nos tornamos indiferentes à vida, ao outro, ao mundo.
Seremos nós Seres Humanos de fato?

(*texto elaborado no seminário: Educação, Meio Ambiente e Comunicação: docilidades e resistências nas sociedades de controle - UDESC - abril 2008, tendo como proposta escrever sobre o que eu não venho escrevendo)

Um comentário:

  1. oi simoni,
    dizem que o mais difícil para o ser humano é ser humano... em tempos de tanta tecnologia é muito complicado para muitos ser simples, pensar simples... e a indiferença se faz no despreso pelas coisas simples da vida e da alma... menos é mais
    bjão
    hariboo

    ResponderExcluir