17/10/2010

Eleições 2010

Nestes tempos de eleições inúmeros e-mails e notícias falam deste ou daquele candidato(a) o que me remete a algumas reflexões, em especial a de que não existe bandidos e mocinhas nesta história da vida real, muito menos um super-herói ou heroína que virá salvar nossas vidas (nação). Deixemos de lado o reducionismo simplório. Ouvimos que todo povo tem o governo que merece, que é a omissão dos bons que permite que a falta de ética e moral esteja na moda e livre de qualquer punição, penso que a questão é mais profunda e complexa. O que existe é um processo sócio-histórico que precisa ser levado em conta para que possamos entender a história política, social e sobretudo moral do nosso país e seus habitantes.
A verdade é que nem um dos candidatos à presidência da república que restaram preenchem todos os requisitos de que precisamos para mudar a história deste país. Há conquistas, qualidades e imperfeições de ambos os lados (partidos/candidatos).
O certo é que precisamos de representantes corajosos, empreendedores, com grande capacidade de articulação e administração, mas sobretudo com valores éticos e morais sólidos e com aliados ficha limpa, éticos e sem nada que desabone suas condutas e precisamos de cidadãos co-partícipes e co-responsáveis.
Que cada um (eleitor) decida de acordo com a sua consciência e momento evolutivo representados pelos seus valores morais. Cada um vê o que lhe é conveniente, portanto, é inútil querer impor ideologias partidárias.
Um fraterno abraço.
Simone Ferreira