29/10/2013

Regressão Terapêutica Cosmoética, o que é isto?

Muitas pessoas ao ouvirem falar sobre regressão de memória acreditam que todos os terapeutas que  utilizam esta ferramenta infringem a Lei do Esquecimento e incentivam o reconhecimento de pessoas contribuindo com isto, muitas vezes, para o agravamento de relações kármicas. Na Psicoterapia Reencarnacionista é possível conciliarmos regressão e Lei do Esquecimento simplesmente porque a regressão é comandada pelo Mentor da pessoa e não pelo terapeuta. É fundamental que as pessoas compreendam que o que realmente buscamos com a técnica é saber COMO a pessoa foi (sua personalidade congênita) e não O QUE a pessoa foi (a persona). Uma vez que ela é instrumento que auxilia na reforma íntima, interessa ao terapeuta o modo de funcionamento do seu Espírito, como ele vem sendo em termos de comportamentos, sentimentos, pensamentos e não se era um personagem de grande vulto,  rico, poderoso, mas como reagia à estas condições, por exemplo, de sua persona.
Saber para o que reencarnamos, qual a real finalidade da nossa encarnação é um dos objetivos da regressão terapêutica que visa também auxiliar as pessoas no desligamento de fatos traumáticos que vivênciou nesta existência ou em outras experiências reencarnatórias. Ai está  sua ação terapêutica potencial, mas tudo é merecimento e quem sabe se a pessoa já merece libertar-se de uma situação traumática do seu passado é o seu Mentor Espiritual. Desta forma o psicoterapeuta reencarnacionista não dirige o processo das recordações, é somente auxiliar do Mundo Espiritual.  Por isto, a regressão dentro desta perspectiva passa a ser chamada de Cosmoética.